Introdução Alimentar


Chegou a hora da introdução alimentar e você não sabe por onde começar?

É comum a mãe de primeira viagem se sentir completamente perdida nessa fase.

Os pediatras recomendam amamentação exclusiva de leite materno até os 6 meses. A partir de então, é comum iniciar os alimentos pouco a pouco, testando a aceitação do bebê e eventuais alergias que algum alimento pode causar.

Em primeiro lugar, converse com o pediatra de seu filho. O médico deverá indicar o momento ideal para iniciar a introdução alimentar.

Alguns pediatras recomendam que inicie com frutinhas e sucos e posteriormente, as papinhas salgadas. Porém, o suco não é consenso, pois, muitos médicos consideram que o suco possui poucas fibras e prejudica o desenvolvimento de mastigar e engolir. O ideal é oferecer a fruta in natura, mas se for oferecer suco, o melhor é não coar e não adoçar.

Frutinhas

Frutas de sabores suaves como maçã e pêra são boas para o início.

Amasse a fruta com um garfo e ofereça na colher. Inicie aos poucos, testando a aceitação da criança, sempre nos intervalos entre as mamadas (as frutas não substituem o leite).

No início o bebê pode recusar a frutinha ou ter dificuldade para deglutir, mas deve-se insistir, pois, é importante para o desenvolvimento da fala, dentição e dicção.

Tente intercalar frutas que prendem e soltam o intestino para evitar que fique muito preso ou muito solto.

Frutas que prendem o intestino: Banana, Maçã

Frutas que soltam o intestino: mamão, pêra, abacate

Após a introdução da dieta salgada, as frutas podem ser servidas como sobremesa.

Evitar

Morango: não é indicado a crianças com menos de 2 anos, pois, possui alto potencial alergênico, consulte o pediatra

Kiwi: há possibilidade de causar alergia na pele ao redor da boca, consulte o pediatra

Abacaxi: por ser muito ácido, é melhor evitar nos primeiros meses

Cítricos: laranja, limão, mexirica e tangerina: possuem alto potencial alergênico, é melhor evitar nos primeiros meses

Papinhas Salgadas

Hora de colocar a mão na massa, mamãe!

Dá trabalho, sim. É cansativo, sim. Mas oferecer alimentos fresquinhos ao seu filho não tem preço.

Vou ensinar aqui a preparar papinhas segundo as instruções do pediatra da minha filha.

Grupos de Alimentos:

Grupo 1) 30g de carne (vaca, frango ou fígado) em pedaços pequenos ou desfiada

Grupo 2) Legumes: cenoura, mandioquinha, chuchu, beterraba, couve-flor, batata,...

Grupo 3) Verduras: almeirão, alface, agrião, brócolis, chicória, couve,...

Grupo 4) Cereais: arroz, aveia, ervilha, lentilha, grão de bico, fubá, soja,....

Utilize:

1 item do grupo 1

2 itens do grupo 2

1 item do grupo 3

1 item do grupo 4

Tente sempre alternar os alimentos, oferecendo a maior variedade possível

- Lave e descasque os legumes

- Corte os legumes em pequenos pedaços (legumes muito macios como mandioquinha tendem a desmanchar se forem picados muito pequenos, já a beterraba demora para cozinhar e quanto menor mais rápido o cozimento)

- Corte a carne/frango em cubinhos

- Pode utilizar como tempero: alho, cebola, cebolinha, salsinha, tomate, entre outros

- Não utilizar SAL (converse com o pediatra a respeito)

O pediatra da minha filha liberou colocar pouco sal na papinha, pois, na opinião dele é melhor acostumar a criança desde cedo a ingerir pouco sal do que privá-la do sal nos primeiros meses e depois liberar produtos cheios de sódio.

Após 1 ano, a criança já pode comer a comida da casa, então, vai passar a ingerir sal.

Como sempre utilizei pouco sal na comida e evito ao máximo comida pronta e industrializada, essa questão nunca foi problema por aqui.

Mas é sempre bom consultar o pediatra do seu filho para saber a opinião dele, já que a ingestão de sal por bebês não é consenso entre os médicos.

Modo de Preparo:

- Com um pouquinho de azeite ou óleo vegetal (aproximadamente 1 colher de sopa), refogue o alho e a cebola

- Acrescente o tomate, salsinha, cebolinha e outros temperinhos a gosto

- Acrescente a carne/frango e os legumes

- Adicione água

- Desligue assim que os alimentos estiverem macios o suficiente

- Passe os legumes por uma peneira grossa (sem mistura-los, por exemplo, passar somente a cenoura, depois somente a mandioquinha) e conserve-os separados para oferece-los separados no pratinho do bebê

- A carne pode ser servida bem desfiadinha em pedaços bem pequenos

Pode ser preparado na panela de pressão ou na panela comum. A diferença é o tempo de cozimento. Na pressão, certamente, será mais rápido.

Atualmente, a indicação dos pediatras é servir os alimentos separados ao invés de uma papinha toda misturada.

Com certeza é mais prático bater tudo no processador e servir. O processo de passar pela peneira é trabalhoso, mas é o mais recomendado para manter as fibras. Servir os alimentos separados faz com que o bebê identifique o sabor de cada alimento e se acostume a cada sabor.

Mesmo que o bebê não coma carne no início, o fato de cozinhar os legumes junto com a carne, faz com que as vitaminas estejam presentes no prato. Em pouco tempo, o bebê já poderá comer pequenos pedacinhos de carne e os legumes poderão ser amassados com um garfo no pratinho. Isso ajudará no desenvolvimento da mastigação.

Pode Congelar?

Sempre prefira preparar papinhas em casa para oferecer ao bebê. Assim você terá garantia da procedência dos alimentos e evita o consumo de produtos industrializados cheios de conservantes, sódio e outros elementos que não trazem benefício algum para a saúde.

Nem sempre é possível preparar alimentos frescos em todas as refeições. Nesse caso, é melhor oferecer ao bebê uma papinha caseira congelada do que industrializada. Apenas atente-se aos cuidados e higiene para congelar os alimentos

Como Congelar:

- Lave bem o recipiente onde irá armazenar a papinha

- O ideal é esterilizar o recipiente com água fervente por alguns minutos antes de usar

- Seque bem e utilize o recipiente seco

- Após colocar o alimento, espere esfriar um pouco para evitar que o recipiente fique com gotinhas, o que prejudica a conservação

- Feche adequadamente

- Coloque uma etiqueta com a data em que a papinha foi feita e o que contém dentro do frasco, assim será mais fácil identificá-lo futuramente

O ideal é que a papinha seja congelada por no máximo 3 meses para conservar os nutrientes.

Recipientes Adequados:

- Forminhas de gelo com tampa são práticas, pois, é possível congelar pequenas porções, principalmente para as mamães que passam a papinha pela peneira e congelam legumes separados

- Recipientes pequenos para evitar o desperdício de ter que congelar grandes porções sem necessidade

- Prefira recipientes de vidro, mas se optar pelos de plástico, utilize sempre recipientes BPA Free, que são livres de substâncias tóxicas e cancerígenas

#papinhadecarnecomlegumes #receitapapinha #comofazerpapinha #comocongelarpapinha #podecongelarpapinhadebebê #introduçãoalimentar #comocomeçaraintroduçãoalimentar

255 visualizações

ENTRE EM CONTATO

Raquel Freitas

Baby Planner | Assessora Materna

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White Pinterest Icon
  • White YouTube Icon

© Todos os Direitos Reservados